A DIETA DA MENTE(DIETA DASH+DIETA MEDITERRÂNEA) PODE AJUDAR A PREVENIR A DOENÇA DE ALZHEIMER




Resultado de imagem para A dieta da MENTE pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer


A dieta da MENTE pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer



Imagem relacionada
Quer outro grande motivo para comer saudável? As escolhas alimentares que você faz diariamente podem diminuir suas chances de contrair a doença de Alzheimer, dizem alguns cientistas.
Os pesquisadores descobriram que as pessoas que aderiram a uma dieta que incluía alimentos como frutas, folhas verdes e peixes tiveram uma grande queda no risco para o transtorno de memória de enfraquecimento, que afeta mais de 5 milhões de americanos com mais de 65 anos de idade.
O plano alimentar é chamado de dieta da Mente,veja como funciona.

Alimentos Cérebro-Amigáveis



A dieta da Mente significa intervenção pela dieta do Mediterrâneo-DASH para atraso neurodegenerativo. É semelhante a dois outros planos de refeição saudável: a dieta DASH e a dieta mediterrânea . 
Mas a abordagem da MENTE "inclui especificamente alimentos e nutrientes que a literatura e os dados médicos mostram ser bons para o cérebro, como bagas", diz Martha Clare Morris, diretora de nutrição e epidemiologia nutricional do Centro Médico da Universidade Rush.
Você come coisas desses 10 grupos de alimentos:

  • Vegetais de folhas verdes (como folhas de espinafre e salada): Pelo menos seis porções por semana
  • Outros produtos hortícolas: Pelo menos um por dia
  • Nozes: Cinco porções por semana
  • Bagas: Duas ou mais porções por semana
  • Feijão: Pelo menos três porções por semana
  • Grãos integrais : Três ou mais porções por dia
  • Peixe: Uma vez por semana
  • Aves (como frango ou peru): Duas vezes por semana
  • Azeite: use-o como o seu principal óleo de cozinha.
  • Vinho: Um copo por dia
Você evita:
  • Carne vermelha: menos de duas porções por semana
  • Manteiga e margarina: Menos de uma colher de sopa diária
  • Queijo: Menos de uma porção por semana
  • Massas e doces: Menos de duas porções por semana
  • Frito ou fast food: menos de uma porção por semana

Os benefícios



Um estudo mostrou que as pessoas que aderiram à dieta da Mente reduziram seu risco de doença de Alzheimer em 54%. Isso é uma porcentagem grande. Mas talvez ainda mais importante, os pesquisadores descobriram que os adultos que seguiram a dieta apenas uma parte do tempo ainda cortaram o risco da doença em cerca de 35%. 
Por outro lado, as pessoas que seguiram as dietas DASH e Mediterrâneo "moderadamente" não tiveram quase nenhuma queda no risco de Alzheimer, diz Morris.
Os cientistas precisam fazer mais pesquisas sobre a abordagem dieta da Mente, mas é um começo muito promissor. "Isso mostra que o que você come pode ter um impacto sobre se você irá desenvolver um início tardio da doença de Alzheimer, que é a forma mais comum da doença", diz Cecilia Rokusek, um dietista registrado na Nova Southeastern University.

Você deve seguir a dieta da Mente?



Mesmo se você não tiver um histórico familiar de doença de Alzheimer ou outros fatores de risco, você ainda pode querer experimentar este plano alimentar. Ele se concentra em nutritivos alimentos integrais , por isso "não é apenas bom para o seu cérebro. É bom o seu coração e saúde geral, também ", diz Majid Fotuhi, MD, PhD. Ele é o presidente e CEO do Instituto de Neurologia Memosyn.
Uma das melhores coisas sobre o plano é que você não tem que cumpri-lo perfeitamente para ver os benefícios, diz Rokusek. "Isso torna mais provável que você vai segui-lo por um longo tempo", diz ela. E quanto mais tempo as pessoas comem a maneira dieta da Mente, menor o risco de contrair a doença de Alzheimer, diz Morris
Se você decidir fazer esta dieta , Rokusek recomenda que você dê alguns passos extras. "Mantenha suas partes sob controle, e tenha cuidado sobre como os alimentos são preparados. Molhos, panificação estava queimada, e óleos pode adicionar calorias extras e ingredientes escondidos, como o açúcar ", diz ela. "Faça um ponto para beber vários copos de água por dia, também."
Por último, entenda que, embora a dieta desempenhe um grande papel, "é apenas um aspecto da doença de Alzheimer", diz Fotuhi. Portanto, obter regular de exercícios e gerir o seu esforço para reduzir seu risco ainda mais, diz ele.
WebMD Característica Avaliado por Neil Lava, MD em 22 de abril de 2015

Fontes



© 2015 WebMD, LLC. Todos os direitos reservados.
http://www.webmd.com/alzheimers/features/mind-diet-alzheimers-disease#1

Esta dieta pode cortar seus riscos de Alzheimer em 50%





GETTY IMAGES
E se houvesse uma medida preventiva que pudesse cortar pela metade o risco de desenvolver mal de Alzheimer?
Alguns nutricionistas podem ter encontrado a fórmula: uma dieta mediterrânea com muitos nutrientes e pequenas quantidades de açúcar e gorduras não-saudáveis.
A dieta ganhou o nome de MIND (em inglês, a palavra significa mente e compõe a sigla de intervenção mediterrânea para retardar a degeneração neurológica) e pode ser eficaz mesmo que não seguida à risca, segundo um novo estudo da Universidade Rush .Pesquisadores descobriram que as pessoas que seguiram a dieta de perto tinham uma probabilidade 53% menor de desenvolver Alzheimer. Aqueles que a fizeram de forma moderada baixaram em 35% o risco de desenvolver dessa doença devastadora.
A dieta MIND incorpora elementos da dieta mediterrânea – muito peixe, gorduras saudáveis, vegetais e grãos integrais, uma combinação que pode reduzir o risco de doenças cardíacas e câncer – e da DASH (sigla em inglês para abordagem dietética para evitar a hipertensão) – que tem muitas frutas, vegetais e laticínios de baixo teor de gordura e pode reduzir o risco de hipertensão, ataques do coração e derrames.
Em um comunicado de imprensa, os pesquisadores afirmam que a dieta MIND é mais fácil de seguir que a dieta mediterrânea completa, que exige consumo diário de peixe e várias porções de frutas e vegetais.
Eis um dia típico da dieta MIND:
3 porções de grãos integrais

Uma salada mais um vegetal

Um copo de vinho

Nozes para o lanche

Mirtilo ou morangos

Frango ou peixe

Feijões (dia sim dia não)
Além de ingerir esses alimento saudáveis, o protocolo MIND exige evitar comidas como manteiga e queijo, carne vermelha, doces e comidas fritas ou processadas.
No geral, a dieta “enfatiza comidas baseadas em plantas e consumo limitado de carne animal e comidas com gorduras saturadas, além de especificar o consumo de frutas silvestres e verduras”, diz o estudo.
Para avaliar o efeito protetor da dieta, os pesquisadores olharam para os dados de consumo de comida de 900 americanos mais velhos que já participavam do Projeto Rush de Memória e Envelhecimento. O projeto começou em 1997 e estuda problemas relacionados ao envelhecimento. Em vez de pedir que os voluntários do estudo seguissem a dieta MIND, eles analisaram dados de uma década dos participantes que já se alimentavam segundo os princípios da dieta, assim como aqueles que baseavam sua alimentação nas dietas mediterrânea e DASH.
Ao longo de um período de cinco anos, a equipe coletou dados de incidência de Alzheimer. O estudo controlou vários fatores que têm influência conhecida no desenvolvimento da doença, como educação, atividade física, fumo e condições cardiovasculares.
A equipe descobriu que a dieta MIND reduzia os riscos de Alzheimer em 53%, enquanto a dieta mediterrânea reduzia os riscos em 54% e a DASH, em 39%. Mas, mesmo quando a dieta MIND era seguida de forma parcial, o risco de desenvolver Alzheimer foi reduzido em 35%. No caso das outras dietas, os benefícios foram negligenciáveis.
“Foi surpreendente descobrir que até mesmo os indivíduos que faziam a dieta MIND de forma moderada tiveram redução no risco de Alzheimer”, disse por email ao The Huffington Post Martha Morris, autora do estudo. “Não foi o caso com a dieta DASH ou a mediterrânea. Para ambas, só uma aderência completa mostrou benefícios.”
A explicação deve residir no fato de que a dieta MIND foi desenvolvida especificamente para refletir as pesquisas mais recentes sobre nutrição e cérebro, diz Morris. Se seguida por muitos anos, a dieta é muito promissora na prevenção do mal de Alzheimer.
“As pessoas que se alimentam conforme essa dieta ao longo dos anos têm a melhor proteção”, diz Morris em um comunicado.
Muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença – incluindo genética, ambiente e estilo de vida --, mas a pesquisa sugere que a dieta certamente está entre esses fatores. Portanto, a nutrição pode ser uma medida preventiva eficaz.
A pesquisa foi publicada na edição de março do Journal of the Alzheimer’s Association.
Fonte:http://www.huffpostbrasil.com/2015/03/31/esta-dieta-pode-cortar-seus-riscos-de-alzheimer-em-50_a_21671972/?utm_hp_ref=br-dieta
Tábua com salmão e ervas
Tábua com salmão e ervas (Thinkstock)

Dieta MIND pode ajudar a prevenir Alzheimer

Programa alimentar é uma mistura da dieta mediterrânea com a dieta DASH e tem mostrado bons resultados em pesquisas científicas



O nome do novo cardápio não é por acaso. Além de mind significar "mente", em inglês, a alcunha representa também a sigla Mediterranean-DASH Intervention for Neurodegenerative Delay, algo como Intervenção da Mediterrânea-DASH pelo Atraso Neurodegenerativo.

Da mediterrânea, este regime herdou a grande quantidade de peixe, alimentos com gorduras saudáveis, vegetais e grãos integrais. Enquanto isso, a DASH inspirou a MIND com sua riqueza em frutas e outros vegetais, além de laticínios com pouca gordura.
O resultado é um programa alimentar que é supostamente mais fácil de ser seguido e tem gerado bons resultados no combate ao Alzheimer e outras doenças cardíacas e degenerativas. Grãos integrais, muitos vegetais, uma taça diária de vinho, sementes oleaginosas, carne branca (frango ou peixe) e frutas silvestres não podem faltar no cardápio, ao passo que devem ser evitados alimentos como manteiga, queijo, carne vermelha, doces e comidas fritas ou processadas.
De acordo com um estudo realizado pela Universidade Rush, seguidores da dieta MIND têm 53% menos chance de desenvolver Alzheimer do que aqueles que não adotam o programa. Até mesmo quem não acompanha as orientações à risca levam vantagem, com 35% menos risco.
A pesquisa foi realizada ao longo de cinco anos, com cerca de 900 pessoas, nos Estados Unidos, e foram verificados vários fatores além da alimentação, para chegar à conclusão, como as atividades físicas e a educação dos participantes.
Fonte:https://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/dieta-mind-pode-ajudar-a-prevenir-alzheimer/#

O que comer para prevenir a doença de Alzheimer?




Muito resultados encorajadores indicam que uma boa dieta pode ajudar muito as perdas cognitivas lento de envelhecimento normal e aqueles associados com a doença de Alzheimer. No menu: vegetais de folhas verdes, frutas, nozes, grãos integrais, peixe e azeite de oliva.
Demência em ascensão
O último relatório da organização Internacional de Doenças de Alzheimer, aproximadamente 50 milhões de pessoas vivem atualmente com a doença de Alzheimer no mundo, uma prevalência que pode chegar a 130 milhões em 2050 1.
A idade é, claro, o principal fator de risco para a doença de Alzheimer e não há dúvida de que o aumento da expectativa de vida em muitas regiões do mundo desempenha um papel importante neste aumento de casos de demência. Dito isto, não se deve esquecer que vários fatores de estilo de vida também podem influenciar significativamente o risco de demência e que esta doença pode ser evitada em muitos casos. Por exemplo, numerosos estudos demonstraram claramente que os fatores de risco cardiovascular (tabagismo, hipertensão, obesidade, diabetes, sedentarismo) aumentam em paralelo o risco de doença de Alzheimer e de cessação do tabagismo, exercício físico regular e uma dieta saudável podem reduzir o risco de demência, mesmo numa idade avançada. Então, nós não somos tão destituídos de frente para a doença de Alzheimer que pode pensar e todos nós podemos adotar alguns hábitos que reduzam o risco de serem atingidos pela doença.
Enquanto alimenta seu cérebro
A importância da alimentação na preservação da função cerebral é bem ilustrada pelos resultados recentes com o sistema MIND (intervenção Mediterrâneo-DASH de Neurodegenerative Delay) 1. Como o nome sugere este plano é um híbrido entre uma dieta mediterrânea e a dieta DASH, desenvolvido para combater a hipertensão. O sistema MIND também se distingue pela ênfase particular em vegetais de folhas verdes, como couve ou espinafre e nas bagas, tais como amoras e morangos. Especificamente, uma dieta de tipo MIND enfatiza nove grandes famílias de alimentos, evitando tanto quanto possível, aqueles que são ricos em gorduras saturadas e trans (junk food, frituras, manteiga e margarina, carne vermelha, doces, tortas e doces).
Portanto, esta é basicamente uma dieta rica em vegetais e fito químicos e antioxidantes, em que os hidratos de carbono vêm principalmente de fibras e grãos integrais e leguminosos onde; peixes e aves são as principais fontes de proteína.
E ele parece funcionar: em um estudo de 923 voluntários reformados, os pesquisadores norte-americanos têm observado recentemente que as pessoas que aderiram mais fortemente à mente dieta tinham 53% menos risco de ser afetado por uma démence2! E é provável que esse efeito protetor possa ser ainda mais pronunciada na mente plano adicionando açafrão e cacau, dois alimentos que são cada vez mais reconhecidas para melhorar funções cognitivas. Em suma, combinado com atividade física regular, a dieta é certamente a melhor arma ao nosso dispor para prevenir todas as doenças crônicas, incluindo aquelas que afetam as nossas faculdades intelectuais.
Food Frequência
Azeite: Todos os dias
Vegetais de folhas verdes: Todos os dias
Nuts: Pelo menos 5 porções por semana
Grãos integrais: pelo menos 3 porções por semana
Legumes: pelo menos 3 porções por semana
Berries: Pelo menos 2 porções por semana
Aves: Pelo menos 2 porções por semana
Peixe: Pelo menos uma porção por semana
Vegetais (exceto folha verde):   Pelo menos uma porção por semana

Fonte:http://www.alimentacao.net/?p=773
Dieta Dash
A Dieta Dash: Como Funciona, Cardápio e Dicas


Com o avanço da ciência nutricional, está cada vez melhor e mais acessível fazer o controle da pressão alta e do colesterol. Nos Estados Unidos há muito problema de hipertensão, uma vez que é um dos países líderes em obesidade e a hipertensão é um problema associado à obesidade. No entanto, a hipertensão nem sempre é causada pelo excesso de peso. Seja como for, quem sofre com a hipertensão precisa estar atento ao que come. Depois de um longo estudo, o Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue americano chegou a dieta Dash, uma sigla em inglês que significa “abordagem dietética para impedir a hipertensão”. Conheça um pouco mais sobre a dieta DASH.


Como funciona a dieta DASH
Como a dieta DASH foi criada para ajudar no controle da hipertensão, tudo nela é voltado para tal meta. A perda de peso, na verdade, acontece porque a dieta baseia-se em alimentos saudáveis, porções moderadas e a inclusão de uma atividade física. Ela não é uma dieta radical, mas tem lá suas restrições. A primeira dela é o consumo de sal. Ou seja, na hora de olhar o rótulo dos alimentos, você precisa procurar a palavra “sódio”, a substância no sal responsável pelo aumento da pressão porque ele constringe (“aperta”) os vasos sanguíneos, fazendo com que o coração se esforce mais, aumentando a pressão. A segunda restrição vai para as gorduras saturadas, aquelas encontradas nas carnes vermelhas, no frango, no leite, queijo, óleos (incluindo o de coco), manteiga, banhas e gordura vegetal. Esta gordura é perigosa porque quando consumida em excesso acumula-se rapidamente nas paredes das artérias, dificultando o fluxo sanguíneo. Uma pessoa saudável pode consumir até 10% de suas calorias em gordura saturada. Um hipertenso apenas 6%. Há também um limite para o consumo de açúcar, uma vez que o açúcar é um dos agentes causadores do sobrepeso, algo muito ruim para hipertensos. No mais, a dieta DASH se assemelha a outras dietas: inclusão de bastante frutas, verduras e legumes, inclusão controlada de gorduras boas (como as encontradas no salmão, atum, nozes, castanhas) e recomenda-se a prática de uma atividade física.
O que comer na dieta DASH – Cardápio
A dieta DASH foi feita para uma média de 2000 calorias por dia. Isso pode parecer bastante para quem quer perder peso, mas lembre-se de que: 1)      A maioria dessas calorias vêm de alimentos saudáveis que não se estocarão automaticamente como gordura; 2)      Esta dieta não foi feita para a perda de peso, e sim para o controle da hipertensão; 3)      Você deve incluir atividade física, o que reduz o impacto negativo das calorias. Com isto em mente, vamos às regras.
Grãos
De 6 a 8 porções por dia. Inclui as versões integrais de pães, massas, arroz e também o grão em si, como aveia ou cereais.
Carnes magras
No máximo 6 porções por dia. Lembre-se que “magras” inclui não só o tipo da carne, mas também o modo de preparar. Dê preferência a grelhados, assados sem óleos, e peixe cozido no vapor (como a dieta de proteínas). Você nunca deve comer a pele das carnes, nem mesmo a de peixes. Procure incluir peixes que tenham omêga-3, um tipo de gordura que ajuda a diminuir o colesterol ruim.
Laticínios
De 2 a 3 porções por dia. Leites, iogurtes, queijos são algumas opções. Dê preferência às versões com pouca ou nenhuma gordura. Em relação aos queijos, lembre-se que mesmo os queijos mais saudáveis têm um teor de sódio um pouco mais elevado.
Verduras e legumes
De 4 a 5 porções diárias. Dê preferência aos frescos ou congelados, uma vez que os enlatados passaram por processos de cozimento que praticamente destruíram seus nutrientes e tem um teor elevadíssimo de sódio. Use verduras e legumes não só nas refeições principais, mas em sanduíches e outros lanches.

Frutas
De 4 a 5 porções diárias. Dê preferência ao consumo da fruta em si ao invés do suco, uma vez que as fibras são perdidas no suco. Sempre que possível, coma a fruta com casca para se beneficiar das fibras. Evite frutas enlatadas, pois a maioria delas têm adição de açúcar. Esteja também atento a frutas que interagem com certos medicamentos para a pressão e também a frutas que tenham muito açúcar, como uvas.
Nozes, castanhas, leguminosas
De 4 a 5 porções por semana. Aqui entram todo tipo de noz, feijões, ervilhas, lentilhas e similares. Estes são alimentos extremamente nutritivos, ricos em fibras, minerais e as nozes contêm gorduras boas. No entanto, são calóricos e o excesso de gorduras (mesmo as boas) pode sobrecarregar o fígado.
Óleos e gorduras
De 2 a 3 porções. As porções são pequenas como uma colher de chá de margarina, uma colher de sopa de azeite. Estas são as gorduras saturadas. Já as gorduras trans, encontradas em biscoitos, bolachas e outros alimentos processados, devem ser evitadas ao máximo.
Doces
No máximo 5 porções por semana. Dê preferência aos doces com pouca ou nenhuma gordura. Recomendo que você leia o artigo “chocolate amargo engorda ou emagrece?”. Ele irá lhe ajudar com a melhor forma de ingerir um doce sem engordar.
Álcool
Na dieta DASH os homens podem beber até duas porções por dia e as mulheres apenas uma. O ideal é não beber, já que bebidas alcóolicas aumentam a pressão e são calóricas.  Lembre-se de respeitar a porção de cada tipo de álcool, o vinho é uma taça, mas ninguém bebe uma taça de uísque.

Cafeína
A dieta DASH não faz referência à cafeína porque ainda não se tem certeza do impacto dela na pressão. O que se sabe é que ela aumenta, ao menos temporariamente, a pressão. A cafeína está presente no café, alguns chás, refrigerantes e energéticos.
Vantagens da dieta DASH
·         Desenvolvida por cientistas através de estudos teóricos e experimentações com humanos;
·         Saudável: compõe-se de alimentos saudáveis e nutritivos;
·         Variada: há muita opção de comida e formas de preparar;
·         Você tem direito a guloseimas e também ao álcool, tudo em moderação. Isso ajuda você a não entrar em crise por não poder consumir nada disso;
·         Fácil de seguir;
·         Ensina a pessoa a se alimentar;
·         É um estilo de vida e não algo temporário.
Desvantagens da dieta DASH
·         Feita para um grupo específico de pessoas. Se você não é hipertenso, talvez tenha necessidades diferentes e possa comer de forma mais variada ou em quantidades maiores;
·         Não foi feita para a perda de peso, embora ela aconteça. Se seu objetivo for a perda de peso e não o controle da hipertensão, talvez seja melhor escolher outro plano alimentar.
Se você é hipertenso e tem interesse em seguir essa dieta, pode conversar com seu médico a respeito dela.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Fonte:http://www.mundoboaforma.com.br/dieta-dash-como-funciona-cardapio-e-dicas/#cvBy3BDjoKlxqAiF.99


A Dieta do Mediterrâneo: Como Funciona, Cardápio e Dicas

A Dieta do Mediterrâneo é uma nova e popular maneira de se alimentar que combina técnicas culinárias e alimentos de culturas da região do Mar Mediterrâneo. A dieta provou ser uma das mais saudáveis existentes e muitos médicos a elogiam por suas qualidades ligadas à saúde do coração e capacidades de estimular a perda de peso.

Plano de Dieta Fácil de Seguir
O cardápio da dieta do Mediterrâneo envolve o consumo de muito azeite de oliva, bem como um copo ou dois de vinho tinto por dia. Isso cria um plano de dieta gostoso e fácil de seguir que irá transformar seu corpo e melhorar sua aparência e sentimentos. Estudos mostraram que adultos que seguem as dicas da Dieta  Mediterrânea apresentam baixo risco de contrair doenças sérias, incluindo câncer, doenças cardíacas, Alzheimer e Parkinson. As orientações alimentares, pelo mundo, estão se alterando agora, para se tornarem mais similares à Dieta Mediterrânea.
Como Funciona a Dieta do Mediterrâneo
Exercícios – os países mediterrâneos incluem inúmeras cidades onde caminhar é rotina. Você se exercita mais ao estacionar o carro mais longe da entrada ou ao ir de bicicleta ao invés de carro. Você pode também adotar corrida ou natação para perda de peso.
Consumir muita fruta, vegetais, legumes e integrais. Evite as fileiras do meio do supermercado.
Utilizar gordura saudável, como azeite de oliva, ao invés de manteiga. A manteiga está no cardápio apenas para bolos e massas. A parte disso, azeite de oliva faz a diferença.
Utilizar ervas para adicionar sabor ao invés de sal. Ervas não somente adicionam mais sabor, elas também são mais saudáveis (vide a quantidade diária de sódio que você deve consumir). Você pode plantá-las em casa ou comprá-las desidratadas.
Limitar o consumo de carne vermelha. A carne vermelha é um fenômeno Americano. Foque em consumir carne vermelha apenas duas vezes por mês e não mais que isso.
Comer mais peixe e aves. Inicie adicionando peixe ao sua cardápio no mínimo uma vez por semana.
Consumir vinho tinto moderadamente. Moderação é a palavra chave aqui. Se você fica tonto ou bêbado, está tomando demais.
Uma das dicas da Dieta do Mediterrâneo é enfatizar as refeições compartilhadas com amigos e familiares. Fazer isso diminui a quantidade de comida que é ingerida e aumenta o prazer. A socialização é uma parte da saúde que muitas pessoas negligenciam em função dos avanços tecnológicos.
De Acordo com a Verdadeira Dieta do Mediterrâneo
Os nascidos na área do Mediterrâneo comem menos carne e, em média, consomem, diariamente, 9 ou mais porções de frutas ou vegetais. Isso é drasticamente diferente da média da dieta Americana. Adicionalmente às proteínas saudáveis e mais frutas e vegetais, você também deveria incorporar castanhas, que são grandes fontes de vitaminas e minerais.
Carboidratos são permitidos
A Dieta Mediterrâna também permite o consumo de carboidratos, para a alegria dos amantes de massas. Ao invés de comer sua massa favorita na manteiga, tente temperá-la com azeite de oliva e ervas, para uma sensação de paladar inteiramente nova, sem nenhuma parte ruim da manteiga.


Moderação é essencial



Tenha em mente que fazer a Dieta do Mediterrâneo não significa correr para o seu restaurante italiano preferido e chutar o balde. Os verdadeiros pratos Mediterrâneos são leves, saudáveis e cheios de sabor. Os molhos são frescos, finos, ao invés de cremosos, e são reforçados com quantidades de sabor, em oposição a pesados molhos à base de laticínios. As pessoas que se adaptam à Dieta Mediterrânea raramente voltam às sua dieta antiga porque não se sentem insatisfeitos ou enganados. Tente ver hoje como funciona a dieta e veja o que a alimentação saudável pode fazer por você.
Alimentos Que Você Pode Comer
Se está considerando experimentar a Dieta do Mediterrâneo, você provavelmente está procurando como funciona, algumas informações adicionais e dicas antes de entrar de cabeça. Uma das maiores questões que você provavelmente tenha é o que você pode comer. Essa é uma consideração muito importante, porque o sucesso da dieta depende de sua habilidade de se ater ao plano de alimentação.


Carnes e Frutos do Mar Saudáveis




Como diz o nome, a Dieta do Mediterrâneo foca-se em se alimentar como os nativos da área do Mediterrâneo se alimentam. Gregos, italianos e outros povos de tez morena, são todos mediterrâneos e todos têm dietas similares. Uma das coisas principais que você notará é que a Dieta Mediterrânea inclui menos carne vermelha do que provavelmente você está acostumado. Carne bovina não é grande parte do estilo Mediterrâneo de vida. Ao contrário, peixes, aves, cordeiros e, numa certa extensão, carne de porco, são as principais escolhas de proteína para o cardápio desta dieta.
Sem Carne Vermelha
Reduzir a carne vermelha tem mostrado altos índices de redução do risco de doenças do coração, ataques cardíacos e outros tipos de doença. A carne vermelha é substituída por porções menores de outras proteínas, ricas em vitaminas e nutrientes, incluindo ácidos graxos tipo ômega, encontrados em certos tipos de peixe.

Tipos de Proteínas
Além da redução em proteínas e alteração dos tipos de proteínas, a Dieta do Mediterrâneo enfatiza o consumo de alimentos frescos e crus. As refeições tendem a ser simples, porém contendo ingredientes de alta qualidade, que adicionam sabor e atrativos ao prato. Você comerá melhor, sem sacrificar paladar ou apelo visual.
Azeite

Adicionalmente, os nativos da área do Mediterrâneo são conhecidos por utilizarem azeite de oliva ao invés de óleo vegetal. Azeite de oliva é uma gordura saudável que pode ser utilizada no preparo ou no tempero de alimentos, do mesmo modo que o óleo vegetal. O óleo de canola também pode ser utilizado, mas a maioria dos Mediterrâneos preferem o azeite de oliva.
Frutas e Vegetais
O centro da sua dieta consistirá de frutas e vegetais, ambos saudáveis e deliciosos. Tente sair um pouco de sua zona de conforto e experimentar novos sabores como alcachofras, alho-poró e cogumelos. Sua feira local é o melhor lugar para encontrar barganhas em produtos frescos, juntamente com receitas e dicas úteis de culinária.
Menos Laticínios
A Dieta do Mediterrâneo coloca ênfase mínima em laticínios. Uma quantidade baixa a moderada desses alimentos deve ser consumida e a opção por escolhas de baixa ou zero gordura sempre que possível são as dicas.
Vinho Tinto é Permitido
Outra coisa pela qual a Dieta Mediterrâna é conhecida é por permitir um copo de vinho por dia. O vinho tinto é repleto de oxidantes que têm mostrado reduzir riscos de certas doenças, incluindo câncer e doenças cardíacas.
Nunca Cansa
A Dieta do Mediterrâneo é um jeito divertido e saboroso de se alimentar melhor e viver mais. O cardápido da dieta é fácil de seguir e permite uma imensa quantidade de variação, portanto você nunca desanima. Tente viver um estilo de vida Mediterrâneo hoje e veja o quão melhor você pode se sentir.
Café da Manhã na Dieta Mediterrânea

Se você decidiu mergulhar na Dieta do Mediterrâneo, você pode não saber por onde começar. Como funciona o café da manhã? O café da manhã é uma refeição importante e é fácil de ser adaptado a esta nova forma de se alimentar. Mudar seu café da manhã pode ajudá-lo a se adaptar à dieta de modo mais fácil e menos estressante para seu organismo.
Alimentos Frescos
A dieta enfatiza comer muitos alimentos frescos. Isso funciona tanto para café da manhã quanto para almoço e jantar. Ao invés da sua usual refeição rápida de donuts ou barras de proteína, por que não tentar algo um pouquinho mais saudável e muito mais saboroso. A Dieta do Mediterrâneo oferece muitas opções de café da manhã que proporcionam energia necessária para toda a manhã.


Apostando no Confiável



Você pode apostar no confiável por simplesmente substituir seu cereal matinal por algo feito de integrais. Iogurte é outra opção de café da manhã. Para aqueles mais aventureiros, um outro tipo de fruta ou uma receita especial de café da manhã pode ser exatamente o que seu médico prescreveu. Se escolher frutas para o café da manhã, escolha as com pigmentos mais escuros como ameixas, figos, toranjas e mirtilos.
Vitaminas e Minerais Essenciais
As frutas com pigmentação mais escura contêm níveis essenciais mais altos de vitaminas e minerais que auxiliam na prevenção de uma série de doenças, tais como câncer e doenças cardíacas. Os nativos do Mediterrâneo são conhecidos por terem taxas baixíssimas destas doenças, que são praticamente uma epidemia na América. A escolha de carboidratos complexos irá não apenas proteger seu organismo, como também proporcionar energia e melhorar a digestão.
Várias Sugestões de Alimentos
Um exemplo de café da manhã Mediterrâneo é um damasco aberto no meio, coberto com iogurte e mel. Você pode adicionar pistaches se quiser. Isto também pode ser comido com alguma torrada de trigo. Se este não é o do seu cardápio, você pode tentar aveia com leite quente, canela e amêndoas. Frutas secas são outras grandes opções de cobertura. Para comer no caminho, um sanduíche de pão integral, queijo, tomate e manjericão proporcionam muito energia, num pacote bacana. Omeletes com espinafre e queijo são escolhas fabulosas, se tiver mais tempo para cozinhar.
Geléias e Compotas
Ao invés de mergulhar seus alimentos de café da manhã em manteiga, tente adicionar sabor e atrativo com geléias e compotas. Há tipos feitos sem adição de açúcar que permitem que a doçura natural da fruta se destaque.
Café da Manhã é Importante
O café da manhã é uma importante parte do dia a dia, portanto aproveite-o ao máximo, comendo um café da manhã Mediterrâneo. Você ficará chocado com a diferença que vai sentir e com quanta energia vai ter. Uma vez que inicie a dieta, será fácil converter mais refeições e fazer mais progressos.
A Dieta do Mediterrâneo de Baixo Carboidrato
A Dieta Mediterrânea é conhecida por seus efeitos únicos na saúde e na vitalidade. E como funciona? A dieta promove alimentação natural, alimentos não industrializados, carnes com baixo teor de gordura e escolha consciente de gorduras, tal como o azeite de oliva para cozinhar e temperar. Contrariamente a comuns enganos, é possível fazer uma Dieta do Mediterrâneo de baixo carboidrato. A maioria das pessoas pensa em massas e grãos quando pensam em culinária Mediterrânea. Não é o caso. Apesar dos mediterrâneos gostarem de grãos como massas, por exemplo, há muito mais na Dieta do Mediterrâneo do que apenas esse único alimento. Adicione um dia por semana de realimentação para evitar entrar em modo de fome.
Dieta Mediterrânea Cetogênica
A Dieta do Mediterrâneo de baixo carboidrato é também conhecida como Dieta Mediterrânea Cetogênica. Esse plano de dieta é uma versão com baixo carboidrato de uma dieta normal, que não só promove benefícios de saúde como também é uma excelente forma de perder peso, de modo saudável.
Treinando Seu Metabolismo
Seu organismo consegue energia tanto de carboidratos quanto de gorduras. Quando você consome uma dieta de baixo carboidrato, você treina seu metabolismo a passar a queimar gorduras ao invés de carboidratos, o que ocasiona perda de gordura e perda de peso. Quando a gordura se quebra, ela libera cetonas na corrente sanguínea, razão pela qual a dieta é chamada de Cetogênica. Seguir uma dieta de 6 refeições por dia é crucial também para o aumento de seu metabolismo.

Baixos Carboidratos e a Dieta do Mediterrâneo



Então, você deve estar se perguntando por que a dieta de baixos carboidratos e a Dieta do Mediterrâneo funcionariam bem juntas. A resposta é simples. A Dieta do Mediterrâneo e a dieta de baixos carboidratos compartilham vários componentes importantes. Ambas colocam ênfase em ingerir frutas frescas e vegetais em seu cardápio, bem como proteínas magras (como carnes magras, que também são indicadas pela Dieta do Índice Glicêmico), queijos, gorduras saudáveis e castanhas.

Todos Os Aspectos de uma Dieta do Mediterrâneo Tradicional



De modo simples, a Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos inclui todos os aspectos da Dieta do Mediterrâneo tradicional, excluindo componentes com muitos carboidratos, como massas e arroz. A Dieta Mediterrânea de Baixos Carboidratos incorpora os aspectos saudáveis da Dieta Mediterrânea, com a metodologia de uma dieta de baixos carboidratos, de modo a criar um estilo único de alimentação, que resulta em perda de peso e aumento geral da saúde.

Benefícios à Saúde



Escolher uma Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos reduz seus riscos de câncer, diabetes, derrames e doenças cardíacas. Utilizando a dieta por curto ou por longo prazo, os numerosos benefícios fazem valer a pena o esforço necessário para se manter na dieta.

Efeitos Colaterais



Se você experimentar qualquer efeito colateral desconfortável ao fazer a Dieta do Mediterrâneo de Baixos Carboidratos, você deve interrompê-la e buscar assistência de um profissional treinado. Muitas pessoas passaram pela dieta com muito sucesso, mas como em qualquer tipo de dieta, há riscos. Certifique-se de entender os riscos potenciais e os benefícios, antes de iniciar a dieta.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Fonte: http://www.mundoboaforma.com.br/dieta-do-mediterraneo-como-funciona-cardapio-e-dicas/

Postagens mais visitadas deste blog

TEONANÁCATL - COGUMELO SAGRADO,A CARNE DOS DEUSES

TIPOS DE TRANSE : COMPREENDENDO OS ESTADOS ALTERADOS DE CONSCIÊNCIA

AYAHUASCA,O CHÁ DO SANTO DAIME : CHÁ SAGRADO OU DROGA ALUCINÓGENA ?